terça-feira, 10 de setembro de 2013

Por que não explicar tudo para a criança pequena

Pilar Tetilla Manzano Borba 

O ser humano leva 21 anos para adquirir maior consciência das coisas. Esse tempo é o tempo que o sistema nervoso central leva para mielinizar todas suas células nervosas, isto é, deixa-las maduras. Essa bainha de mielina é a responsável pelas conexões nervosas (sinapses) entre os neurônios.

Nos primeiros anos de vida, até a troca dos dentes, por volta dos seis anos, a mielinização para a aprendizagem está sendo formada. A consciência da criança está ainda num estado de sono nesta etapa da infância,ou seja, ela não tem consciência das coisas como nós adultos já  a temos. Por isso que a criança é criança e depende de nós para tudo. Ela não tem discernimento, crítica e julgamento ainda sobre as coisas da vida.

Ter consciência significa fazer as sinapses entre os neurônios. Nas sinapses há um dispêndio de energia muito grande. Por isso que quando prestamos atenção em algo ou quando usamos por demais nossos órgãos dos sentidos nos sentimos cansados. À noite necessitamos dormir para repor essa energia gasta durante o dia de vigília, de atenção a tudo.

Em antroposofia costumamos dizer que nos sete primeiros anos o corpo da vida ( vital, ou etérico) da criança está sendo plasmado, formado. Seus órgãos ao nascer não estavam de todo amadurecidos e para que esse amadurecimento ocorra é necessário ter energia, vitalidade. Lembre-se sempre que consciência é gasto de energia, é queima de substância cerebral.

O cérebro também é um órgão e ele é a base para o pensamento. Se a criança até três anos está formando cérebro para pensar como é que ela pode usá-lo pensando? Não se cozinha feijão numa panela que ainda está sendo feita! Como a criança ainda não tem a coordenação fina pronta porque lhe dar um lápis, uma agulha? Se ela ainda não se administra nos perigos porque lhe dar a tesoura, a faca?

Outros órgãos como o fígado, pulmões, coração, rins, estão amadurecendo também e quando exigimos da criança que aprenda algo com a cabecinha, ou entenda as coisas como nós queremos que ela entenda, estamos fazendo com que ela use essas forças formativas que estão plasmando os órgãos para a compreensão e o entendimento e aí nós as DESVITALIZAMOS e promovemos uma má formação dos órgãos PARA O RESTO DE SUAS VIDAS!


Há indícios de que o avanço da doença ALZHEIMER é também decorrente de uma exigência precoce do sistema neurosensorial na infância. Rudolf Steiner cita muitas vezes esse fator em seus livros. Por isso que a Pedagogia Waldorf, por estar baseada numa ciência antroposófica, preocupada em formar seres humanos saudáveis, verdadeiros e livres, é totalmente contra a alfabetização precoce. Essa pedagogia prima por excelência pela saúde física, emocional, mental e espiritual da criança e do adolescente principalmente no período de seu desenvolvimento.

Hoje, com essa mania de escolarização precoce, as crianças de um modo geral estão muito doentes: depressão, dores de barriga, dores de cabeça, pedra nos rins, pneumonia, cansadas, entediadas, tristes apáticas... O que estamos fazendo com nossas crianças?

As crianças aprendem pelo movimento e pela repetição. Se quiser que ela atenda uma ordem faça o que quer que ela faça: coma você com a boca fechada se quer que assim o aprenda; fale você mais baixo; feche a porta você sem bater; escove você os dentes com a torneira fechada; seja você carinhoso com ela, e assim por diante. Na infância as crianças aprendem pela IMITAÇÃO do que você faz e não pela palavra, pelo sermão. Mas, é óbvio que precisamos conversar com ela para que aprender a falar; mas devemos saber o que falar e o que não falar.

Deixe que a criança descubra o mundo por si mesma, vivenciando-o; experimentando-o; incorporando-o e, sobretudo, aprendendo ao vivo e não através da mídia. Promova-lhes as oportunidades. Quanto mais a criança descobrir por si através do movimento, do equilíbrio e dos seus órgãos dos sentidos, mais ela fará conexões nervosas e quanto mais sinapses ele tiver feito na infância por ela mesma mais espaço no cérebro ela terá para a aprendizagem posterior cognitiva.

9 comentários:

  1. "Já está provado pela ciência que o avanço da doença ALZHEIMER é também decorrente de uma exigência precoce do sistema neurosensorial na infância."

    Poderia, por gentileza, citar a fonte desta afirmação?

    ResponderExcluir
  2. Abaixo algumas fontes que a autora do texto enviou como fonte de pesquisa do assunto solicitado:

    A Imagem do Homem como base da Arte Médica – Friedrich Husemann – Otto Wolff -
    Co-edição da Associação Beneficente Tobias e Associação Brasileira de Medicina Antroposófica – 1992 – SP

    O Fim da Evolução – Reivindicando a nossa inteligência em todo o seu potencial - Joseph Chilton Pearce – Editora Cultrix – SP

    Os Primeiros Sete Anos, Fisiologia da Infância – Edmond Schoorel, Editora Antroposófica -
    2ª Edição com tradução de Sonia Setzer) -- 2013, SP

    Sem Tempo Para Ser Criança – A Infância estressada – David Elkind, Artimed Editora, Porto Alegre, RS – 2004

    O Direito de Ser Criança – Problemas da criança apressada – David Elkind – Editora Fundo Educativo Brasileiro

    A Educação Waldorf – Helmut Von Kugelgen – Editora Antroposófica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem alguma fonte cientifica de estudos sobre Alzheimer que não seja apenas baseada na antroposófica ? Que orgãos reconhecem esta informação? Neurologista ? Neuropicólogos ?

      Excluir
    2. Segue a resposta da autora do texto.

      Livros que falam sobre o tema e que não são da Antroposofia:
      O FIM DA EVOLUÇÃO de J.C.Pearce
      SEM TEMPO PARA SER CRIANÇA e O DIREITO DE SER CRIANÇA, de David Elkind:
      O DESAPARECIMENTO DA INFÂNCIA, de Neil Postman
      A CRIANÇA MÁGICA de J.C.Perace
      OS ANOS MÁGICOS de Selma Fraiberg.

      O que deve ficar claro é que se anteciparmos o processo de alfabetização roubamos da criança forças vitais que nesta fase estão formando corpo físico. O cérebro é um órgão que está sendo formado na infância e precisa dessas forças vitais para ser construído por isso não pode ser usado precocemente para a aprendizagem da alfabetização. A questão do Alzheimer é que há uma morte de células cerebrais. Um ressecamento das células. O organismo é constituído de humores, líquidos, vida e se usarmos essa vida para ler e escrever na infância matamos esse corpo antes do tempo.

      Excluir
  3. Olá, minha pergunta é: Alfabetização precoce não é saudável. Mas se a criança por si só demonstrar interesse e aprender a ler antes da idade prevista. Qual deverá ser a reação dos pais?
    Obrigada

    ResponderExcluir
  4. sabe o que eu penso? não precisamos de pesquisas científicas para provar o óbvio, não é mesmo? criança é criança. e criança tem que brincar. não tem que se preocupar com os altos e baixos das bolsas de valores, nem com a falta de água ou a fome do mundo. acho que todos podemos concordar com isso.

    ResponderExcluir
  5. Estou indicando este artigo para explicar a um amigo as razões de não estimular a alfabetização precoce. Grata.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom o post, a criança deve desenvolver aos poucos cada um no seu ritmo, muitas vezes tratamos as crianças como mini adultos com cobranças de coisas que eles ainda não são capazes de fazer.

    ResponderExcluir
  7. Muito obrigada pelo post e pelas referencias nos comentários.

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar o seu comentário e enriquecer ainda mais o nosso trabalho.